Data Center

O que levar em conta na hora de construir um Data Center?

o que levar em conta na hora de construir um Data Center
Escrito por Márcio Abreu

Muitos estudos mostram que há grande desperdício ou escassez de refrigeração, potência elétrica e espaço em Data Centers. Mas por que isto ocorre? Com certeza devido à falta de planejamento ou técnicas erradas ao se construir um Data Center . Falta que gera não somente custos de construção, mas também altos custos de operação.

Os custos de energia são a maior despesa relacionada ao funcionamento de um data center.

De fato, em Data Centers mais antigos e menos eficientes, os custos de energia para um servidor típico excedem o custo do servidor ao longo de sua vida útil operacional de três anos.

Uma nova edificação oferece as maiores oportunidades para incorporar as mais recentes práticas de construção LEED sustentáveis e economizadoras de energia, bem como instalar os sistemas de energia e refrigeração mais eficientes.

Projetar e construir para a eficiência energética não é mais uma promoção para demonstrar o compromisso de sua organização com a responsabilidade social; É uma necessidade operacional.

Aqui estão os passos fundamentais para construir um Data Center mais eficientes que evolue com as necessidades da sua organização:

1. Tamanho Correto

Muitos gerentes de TI pensam em sua demanda futura de 10 anos para construir um Data Center. Pensar no crescimento futuro é correto, instalar agora toda a estrutura necessária para este cenário futuro, não.

Então como se deve proceder?

Planejamento

Planejando-se  sua implantação através de dados extraídos de estudos de Assessment do Data Center atual, análise do negócio e expectativas de crescimento.

Com esses dados fazem-se cálculos de quanto espaço, potência e refrigeração o Data Center demanda hoje e demandará no futuro.

Demanda Atual

Projeta-se, então, toda a infraestrutura dos alimentadores elétricos, redes frigorígenas e espaço necessário para a demanda futura. Instala-se, porém, os equipamentos e utiliza-se a área somente para a demanda atual.

Vamos a um exemplo para melhor esclarecimento : Se você calculou que no futuro o seu Data Center necessitará de 200KVA de potência elétrica, 4 máquinas de ar condicionado e 400m2 de área mas hoje ele precisa somente de 100KVA  de potência elétrica, 2 máquinas de ar condicionado e 200m2 de área, constrói-se toda a infraestrutura de cabos alimentadores elétricos para potência final, toda a tubulação de rede frigorígena para estes 4 ar condicionados mas instala-se somente 1 No Break de 100KVA e 2 máquinas de ar condicionado.

Com relação à área, faz-se a compartimentação da sala, dividindo o espaço (através de paredes removíveis) em 2 salas de 200m2 cada. Utiliza-se somente uma dessas partes.  

Projeta-se o sistema de combate a incêndio para a área total. Instala-se, porém,  somente os equipamentos e gás necessários para esta primeira área.

Demanda Futura

No futuro, quando a demanda assim o requerer : retiramos a parede que separa as duas salas; ativamos o sistema de combate a incêndio ; complementamos o gás para a área total;colocamos as máquinas de ar condicionado restantes na sala (sua rede frigorígena já estará pronta – não necessidade de obras); compramos outro no break de 100KVA e o colocamos em paralelo com o existente somando-se as potencias para 200KVA.

Com isto, para se construir um Data Center :

  • o investimento inicial é menor;
  • todo esse investimento é preservado;
  • há maior eficiência energética (menores custos operacionais) no Data Center ;
  • há menores custos de ampliação futura.

2. Climatização

Todo aparelho eletrônico e, especialmente, os processadores, geram calor quando em operação.

Se não for dissipada, a eficiência do processador diminui, em casos extremos, até o ponto em que o componente falha.

Portanto, o resfriamento de um Data Center é essencial, e devido ao grande número de equipamentos de computação concentrados, os custos para fazê-lo são consideráveis.

Por esta razão, os servidores são instalados em racks, que se assemelham basicamente a estantes padronizadas.

Eles são dispostos de modo a formar duas fileiras de racks de frente um ao outro, criando assim um corredor a partir do qual a parte da frente do servidor é acessível.

Os corredores são cobertos acima e fechado nas extremidades por portas ( Contenção do corredor quente ou do corredor frio ).

O ar de insulframento ajustado para uma temperatura de 24 a 26 ° C sai na frente dos racks através de buracos no chão, flui através das prateleiras, e dissipa o calor emitido pelos servidores.

Geralmente, ao se construir um Data Center, uma sala de servidores conterá várias dessas linhas de servidor “fechadas”.

O ar quente da sala de servidores é removido pelo sistema de ar condicionado.

No entanto, mesmo o sistema de ar condicionado tem de dissipar o calor.

Quando a temperatura externa está abaixo de 12 a 13 ° C, o ar exterior pode ser usado para efetivamente resfriar o calor absorvido pelos sistemas de ar-condicionado.

Free Cooling Indireto

De acordo com a Emerson Network Power, a temperatura externa é somente um parâmetro de análise, que precisa ser ampliada, para utilização da tecnologia.

Sendo assim, o uso de Free Cooling Indireto pode também ser sim aplicado em regiões tropicais, já que a solução se adequa através da utilização da nova tecnologia dos servidores.

Segundo recomendação da ASHRAE, a medição da temperatura na entrada dos racks, possibilita o aumento na temperatura de retorno para as unidades de ar condicionado e consequentemente oferece maior utilização do free cooling.

Essa operação regula a temperatura interna do data center sem a utilização de água ou qualquer tipo de contaminação do ar externo.

A diferença da abordagem com relação a sistemas tradicionais de refrigeração de DCs reside no fato de que a máquina controla a operação dos compressores dependendo da temperatura externa.

Ou seja, quando existe uma variação de temperatura do ar externo em relação ao ar interno do Data Center em torno de 10 graus, fazendo com que o sistema de free cooling indireto seja acionado ou desligado.

Economia Gerada

Os sistemas de ar condicionado e refrigeração respondem por cerca de 40% no consumo de energia de um data center.

A compartimentação de corredores quentes/frios em conjunto com a tecnologia de free cooling indireto (que auxilia no resfriamento do ambiente ao utilizar o ar frio externo direto para esfriar o líquido refrigerante, assim ocorre troca de calor e o resfriamento do ar interno do site), representa uma economia de aproximadamente 30% a 60% do consumo de energia elétrica do data center.

Contar com uma empresa, especializada, e de grande referência no mercado, na hora de construir um Data Center, é essencial para garantir uma estrutura bem climatizada que atenda não apenas as necessidades imediatas, mas também as futuras.

Ou seja, o planejamento de crescimento sempre deve ser considerado na avaliação.

3. Energia

Reduzir o consumo de eletricidade é fundamental no ponto de vista ecológico e financeiro — sobretudo devido às altas tarifas cobradas pelas concessionárias de energia.

Nos próximos anos, a indústria de data centers enfrentará uma crescente pressão para encontrar formas viáveis de integrar fontes de energia renováveis em projetos.

A demanda está sendo impulsionada, além de economia a longo prazo, por duas tendências: o crescimento dos programas de responsabilidade social corporativa que se concentram na neutralidade de carbono e o potencial de legislação federal que colocará limites sobre as emissões de carbono.

Energias Renováveis

As energias renováveis oferecem potencial para energia de baixo custo e fornece uma alternativa de energia para áreas onde a confiabilidade é um problema.

É claro que as energias renováveis ​​têm seus próprios problemas de confiabilidade.

O vento pode não soprar e o sol pode não brilhar, ou podem fazê-lo em momentos em que a energia não é realmente necessário.

Para aproveitar os benefícios das energias renováveis ​​e superar suas limitações, os Data Centers podem contar com uma abordagem de microgrid que combina vários recursos, como energia da concessionária, geração de diesel e renováveis.

Integração

A tecnologia está disponível hoje para lidar com êxito com questões relacionadas com os fluxos alternados de energia que ocorrem em microgrids.

Os inversores de energia podem fornecer energia quando necessário e as baterias podem absorver energia quando as energias renováveis ​​produzem mais do que o necessário ao consumo do momento.

O Data Center poderá ainda utilizar a energia da concessionária quando da falta de produção de energia pelas fontes renováveis.

4. Local de instalação

O local de construção do Data Center está longe de ser um mero detalhe.

Um estudo extenso sobre os mais diversos fatores do município, aliás, é feito por todas as grandes empresas antes de decidirem onde vão se instalar.

Mas, quais são esses fatores?

Eles vão desde os recursos de serviços públicos à recepção da comunidade ao negócio da empresa.

Algumas questões básicas a se levar em conta:

  • Qual é o nível de confiabilidade da rede elétrica do local?
  • Que tipo de energia o município oferece?
  • Qual é a capacidade de largura de banda? Existe fibra ótica para uso exclusivo?
  • Os riscos de desastres naturais na região são grandes? Se sim, quais são eles?
  • Qual é a latência do site em comparação aos padrões estabelecidos para o seu segmento?
  • Há instituições de ensino superior ou técnico na região?

Esses são apenas alguns fatores que devem ser considerados na seleção do local para construir o Data Center.

5. Segurança

O ambiente do Data Center é altamente rico em informações sendo esta o maior patrimônio de uma empresa.

Uma política para controle de acesso se fará sempre necessária para proteger os dados confidenciais de ameaças externas.

Há diversas maneiras e tecnologias para estabelecer o controle físico, como biometria, código de acesso, leitura de cartão e gerenciamento de visitas.

É importante, também, estabelecer esses controles de acordo com a criticidade do acesso para o negócio.

6. Infraestrutura e Comunicação

Mais do que oferecer um serviço de alta qualidade aos clientes, é imprescindível construir um Data Center cuja infraestrutura de TI seja capaz de cumprir com o que promete.

Para isso a avaliação do Data Center deve ser feita com o máximo de rigor.

O Data Center deve ser atendido por concessionárias de telecomunicações distintas e que não possuam contratos de utilização de backbones umas com as outras.

Considerando tudo o que juntos aprendemos no conteúdo, decerto você concluiu que contar com uma empresa especializada é crucial para construir um Data Center de excelência, não é mesmo?

A Innotecho é uma empresa que conta com a ampla experiência em Data Center. Entre em contato e conheça as nossas soluções!

Assine nossa Newsletter

Assine nossa Newsletter

Assine nossa newsletter para receber informações e dicas interessantes sobre Data Center e TI.

Enviaremos, no máximo, um email por semana com a sintese dos ultimos artigos escritos.

 

Parabens! Você está inscrito em nossa Newsletter !

Sobre o autor

Márcio Abreu

Acreditado pela Uptime Institute e certificado pelo The Icor. É hoje um dos profissionais com maior experiência em projetos e construções de Data Ceters, no Brasil. Especialista na concepção , validação do projeto , análise de riscos das instalações, acompanhamento, controle e comissionamento de construções de Data Center .

Site : http://www.innotechno.com.br

Deixar comentário.

Share This
/* ]]> */