Data Center

Como os data centers devem se preparar para a internet das coisas?

como-os-data-centers-devem-se-preparar-para-a-internet-das-coisas
Escrito por Márcio Abreu

A tecnologia da informação (TI) já faz parte da rotina de trabalho da maioria das empresas. Dessa maneira, suas ferramentas e soluções são essenciais para o bom desempenho de um empreendimento.

Com o passar dos anos, novas estratégias e produtos são criados e o mercado também torna-se cada vez mais exigente. Assim, o processo produtivo de uma empresa precisa acompanhar essas mudanças e prestar um serviço de qualidade.

O data center é um tipo de recurso amplamente utilizado por várias empresas. Porém, com os avanços das tecnologias e o surgimento da internet das coisas, ele precisa ser atualizado e adaptado da melhor maneira possível.

Por isso, neste post, você vai aprender o que são esses dois conceitos, quais são suas importâncias e como eles se relacionam. Tenha muita atenção em sua leitura e aproveite para sanar suas dúvidas!

O que é o data center?

O data center é um ambiente desenvolvido para armazenar a informações de uma empresa composto por servidores e equipamentos. Nele, a informação é armazenada e organizada em banco de dados de um processo produtivo, tornando-se extremamente importante  a performance deste.

Seu tamanho pode variar de acordo com as necessidades do processamento de dados e do espaço físico disponível.

Como alguns serviços precisam funcionar a todo momento, suas atividades devem acontecer ininterruptamente e com confiança. Quando isso não acontece, a operacionalidade dos serviços é colocada em risco.

Por isso, os sistemas de proteção e de manutenção devem ser projetados e planejados para superar obstáculos e manter tudo em perfeito estado.

Um data center eficiente deve ter uma infraestrutura de rede adequada, permitindo ao tráfego IP o fluxo de informações, comunicações e acessos entre seus usuários.

O que é a internet das coisas?

A internet das coisas é um conceito extremamente importante para a revolução tecnológica em nossa sociedade. Ela tem o objetivo de conectar os equipamentos e itens utilizados em sua rotina de trabalho à rede mundial de computadores.

Em outras palavras, ela é responsável pela conexão de vários objetos com a internet, para além dos exemplos que você já está acostumado, como os telefones celulares, computadores e tablets.

Com essa interação, é possível criar sistemas automatizados que ajudam na coleta de informações em tempo real. Assim, um gerente empresarial tem mais autonomia e confiança para analisá-las e tomar decisões com mais eficiência e rapidez.

Como você pode reparar, a internet das coisas visa a expansão da conectividade, integrando processos e envolvendo todos os usuários e equipamentos do processo de uma empresa.

Hoje em dia, muitos empreendimentos já contam com um aplicativo próprio e conseguem melhorar o engajamento de seus clientes com o uso de tecnologias. Portanto, a internet das coisas é uma das principais tendências mundiais, e você não pode ficar de fora dessa.

Como eles se relacionam?

Agora que você já sabe a definição desses dois conceitos, chegou o momento para compreender como eles se relacionam.

Como você pode perceber, a internet das coisas tem o objetivo de conectar equipamentos e fornecer um fluxo de informações para mantê-los operacionais e permitir a análise de seus desempenhos. Para que isso aconteça com máxima eficiência, é necessária a existência de um sistema centralizado que integre todos os processos.

Nessas horas, os data centers são fundamentais para manter todas as atividades em funcionamento. Como essas informações precisam ser analisadas em tempo real, um data center precisa otimizar e preparar adequadamente suas funcionalidades.

Quais mudanças precisam ocorrer nos data centers?

À medida que o tempo passa, novas tecnologias surgem e são aprimoradas. Dessa forma, a internet das coisas depende do andamento dos processos de um data center.

Com o aumento da demanda e do fluxo de informações, esse recurso deve ser engajado e preparado para trabalhar com velocidade e qualidade.

Então, abaixo, mostramos alguns pontos que devem nortear essa evolução:

Gestão de armazenamento

O armazenamento e o gerenciamento de dados são duas das principais funções de um data center. A internet das coisas vai exigir uma melhora nesses serviços, sempre levando em consideração a coleta e o uso de informações reais e atualizadas.

Desse modo, a gestão de armazenamento deve ser realizada de acordo com as exigências do mercado e de seus clientes, aumentando sua capacidade e suas funcionalidades com o passar dos anos.

Capacidade dos servidores

Como o fluxo de informações tende a aumentar, a capacidade dos servidores de um data center precisa ser aprimorada. Consequentemente, o sistema pode apresentar menos falhas e problemas que atrapalham o funcionamento dos processos.

Então, a internet das coisas funciona como um catalisador para as pesquisas e o desenvolvimento de novas tecnologias desses tipos de produtos.

Segurança

A segurança é um critério fundamental para o sucesso de um negócio, e não poderia ser diferente nessas situações. De nada adianta ter um sistema funcional e eficiente, se ele não é seguro e confiável para seus usuários.

Com a evolução e a automação dos processos, novos desafios de segurança surgem na rotina de trabalho de um gerente de TI. Já que novos ambientes contam com o auxílio de tecnologias, novos obstáculos devem ser superados e seus problemas solucionados.

Independentemente do momento e das condições de trabalho, é muito importante prezar pela segurança e fazer de tudo para manter seu data center operacional com a internet das coisas.

Lembre-se também que ela vai permitir a integração e a personalização de sistemas que antes trabalhavam isoladamente. Dessa maneira, a privacidade do consumidor é essencial para garantir um vasto volume de dados e um ótima experiência para seus usuários.

As tecnologias garantem o conforto e o bem-estar na vida da maioria das pessoas. Por isso, uma empresa especializada em TI deve atuar de maneira correta e eficiente.

A fim de aproveitar as oportunidades que o mercado oferece, um gerente precisa compreender como funcionam suas ferramentas de trabalho e quais são suas potencialidades.

Com o avanço da internet das coisas, o data center precisa ser aprimorado e atualizado em relação às suas funcionalidades e objetivos.

Tenha sempre em mente que essas mudanças e o planejamento de TI são essenciais para aumentar a notoriedade de seu negócio no mercado e para a prestação um serviço de qualidade.

E então, gostou do nosso conteúdo? Agora, descubra como e por que fazer a manutenção preventiva em um data center!

Assine nossa Newsletter

Assine nossa Newsletter

Assine nossa newsletter para receber informações e dicas interessantes sobre Data Center e TI.

Enviaremos, no máximo, um email por semana com a sintese dos ultimos artigos escritos.

 

Parabens! Você está inscrito em nossa Newsletter !

Sobre o autor

Márcio Abreu

Acreditado pela Uptime Institute e certificado pelo The Icor. É hoje um dos profissionais com maior experiência em projetos e construções de Data Ceters, no Brasil. Especialista na concepção , validação do projeto , análise de riscos das instalações, acompanhamento, controle e comissionamento de construções de Data Center .

Site : http://www.innotechno.com.br

Deixar comentário.

Share This
/* ]]> */